A descrição de “discrição”
Por Márcia Soboslay

publicado em

Atualmente, as competências técnicas e comportamentais exigidas para se conseguir um emprego e/ou se manter no cargo são chamadas, respectivamente, de Hard Skills e Soft Skills.

As Hard Skills são as habilidades e experiências técnicas, normalmente adquiridas através de uma educação formal e treinamentos e englobam todo o aprendizado cultural, tecnológico e acadêmico do indivíduo. 

Já as Soft Skills se referem às características pessoais que remetem à personalidade de cada um como equilíbrio emocional, habilidade de comunicação, organização, empatia, resiliência, flexibilidade etc. É importante dizer que as Soft Skills são, na maioria dos casos, responsáveis pela demissão de funcionários e, talvez por isso, elas passaram as ser mencionadas com maior destaque nos anúncios de vagas na expectativa de otimizar a busca pelo profissional ideal para aquele cargo. 

No entanto, o que tenho percebido, é que a lista de Soft Skills mencionada nos anúncios inclui, entre as características já mencionadas acima, a palavra “descrição”. É claro que eles estão procurando uma pessoa que seja discreta, reservada e sensata. No entanto, eles caem no abismo dos parônimos onde estão as palavras que se assemelham na grafia e na pronúncia, mas que possuem significados diferentes.

E o que dizem os dicionários?

DISCRIÇÃO: 

  • Qualidade de discreto, de quem não quer chamar a atenção.
  • Característica de quem é recatado; que tem pudor.
  • Competência de quem sabe diferenciar o certo do errado; sensatez.
  • Qualidade de alguém que não espalha os segredos alheios.

DESCRIÇÃO:

  • Ato ou efeito de descrever e representar algo ou alguém por palavras.
  • Narração exata e viva de um fato, lugar ou paisagem, por meio da palavra oral ou escrita.

Então, muita atenção!! Toda vez que for escrever ou falar algo, seja formal ou informalmente, tenha certeza de estar usando a palavra com o real sentido do que você quer expressar para não gerar nenhum mal-entendido e, também, não prejudicar a sua imagem pessoal e/ou profissional. 

Fica aqui mais uma dica e uma clara demonstração de como o conhecimento da Língua Portuguesa é fundamental para a sobrevivência corporativa. Eis aqui apenas alguns benefícios:

  • otimiza o trabalho (não será necessário refazer para corrigir eventuais erros)
  • gera resultados mais positivos (os objetivos são expostos corretamente) 
  • não gera ruído na comunicação (a mensagem é compreendida por todos)
  • gera credibilidade à competência, experiência e conhecimento do seu autor. 

Não menospreze o valor do conhecimento!

Camada 1

Márcia Soboslay é Secretária Executiva há 38 anos. Tem formação técnica em Secretariado, Graduação em Análise de Sistemas e Pós-Graduada em Docência no Ensino Superior. Palestrante e docente sobre temas ligados à língua portuguesa como Redação Empresarial, Nova Ortografia e Comunicação Assertiva. Participou do COINS – Congresso Internacional de Secretariado em 2019 onde apresentou o trabalho: “A ineficácia no aprendizado da língua portuguesa na educação básica e sua influência na atuação do profissional de secretariado”. Escritora e redatora de artigos diversos, inclusive para revistas especializadas na área secretarial.

Camada 1

Gostou deste artigo? Compartilhe!

1 Comment


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

os mais lidos na semana

Temas Procurados

Camada 1
mulher-absoluta-in-company-banner
presenca-online-campanha-touche (6)
vinheta-abril-2021-banner (8)
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow